Curiosidades

Entenda o significado do símbolo "Raio vermelho imortal" usado pela ROTAM da Polícia Militar do Tocantins

Lara Tavares/Governo do Estado

 

As Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM) é um grupo especializado da Polícia Militar do Tocantins, compondo uma Companhia do Batalhão de Polícia de Choque (BPCHOQUE), subordinado ao Comando do Policiamento Especializado (CPE) da corporação. Um dos símbolos do grupamento é o raio imortal de cor vermelha, motivo de orgulho de policiais militares e que denota características do trabalho realizado por eles.

O raio vermelho imortal compõe o brevê do grupamento que é formado por louros, o raio vermelho, o sol e as cores da bandeira do Estado do Tocantins. Os louros representam a glória, vitória e conquista sobre as adversidades. O raio vermelho indica energia, força e rapidez necessária nos cumprimentos das missões, sendo o principal indicativo do brevê. O sol significa a luz, o poder e a autoridade, sobretudo para aqueles que respeitam e estão dispostos a contribuir com as ações desencadeadas pelo grupo. As cores da bandeira do Tocantins representa a gloriosa Polícia Militar do Estado, a quem o grupo pertence.

Dentre os outros símbolos da ROTAM estão o estandarte, a flâmula de desfile em fuzil, o brasão e a barca. Uma curiosidade: os rotamzeiros utilizam viaturas diferenciadas de maior porte, caracterizadas com símbolos do grupamento as quais eles chamam de “barca”. Para o soldado da PM do Tocantins, Nyashe Campos, “ostentar o braçal de ROTAM é uma das maiores honras que um policial militar pode alcançar. É fazer parte da melhor tropa, é confiar no seu parceiro de olhos fechados. É estar sempre preparado para dar a resposta à sociedade nos momentos de crise! O policial de ROTAM é um caçador e carrega no seu peito o raio vermelho e imortal, e isso o habilita a enfrentar qualquer tipo de situação independente das condições, seja qual for a missão, estamos sempre prontos para garantir a manutenção da ordem e da justiça em solo tocantinense”, disse.

Vale lembrar que, você só pode ser um rotamzeiro após ingressar em concurso da Polícia Militar. Sendo policial militar, deve concluir o Curso de Operações ROTAM (COR). A PM do Tocantins já realizou três edições do COR que forjaram, por meio de instruções teóricas e operacionais, 92 rotamzeiros, além destes, há também 26 raiados que realizaram o curso em outra coirmã, isto é, em outra unidade da federação. Após a aprovação no COR, o policial militar está habilitado para atuar na ROTAM, usar o braçal, o brevê e a farda camuflada.

O coronel da PM de Goiás (PMGO), que foi um dos policiais militares precursores da ROTAM no Estado, Newton Nery de Castilho, local onde se criou em 2002 o regimento interno e doutrinário do curso da ROTAM, que foi subsídio para o regimento da PM do Tocantins, relatou que o raio imortal é uma referência incontestável da tropa de elite e também carro-chefe da produção operacional e malha protetora da segurança pública.

Sobre a importância da atuação do grupamento, o coronel Castilho destacou que, “o raio cravado no peito trabalha em prol da sociedade e do Estado, sendo o maior orgulho dos operadores táticos especiais. Na PM de Goiás, a ROTAM virou tema de festas infantis, de aniversários. A ROTAM, que é significado de dureza cívica e ternura cidadã, está nas universidades, nas teses acadêmicas, nas referências positivas de formadores de opinião, religiosos, juristas, sociedade organizada, etc.”. No Tocantins não é diferente, onde também há muitos cidadãos que admiram o serviço prestado pelos rotamzeiros na segurança da sociedade.

Segundo o capitão da PM do Tocantins, Daniel Rodrigues, raiado formado na PMGO, o sacerdócio de compor o grupamento da ROTAM orgulha os integrantes e o apoio da comunidade, que compreende seu papel na segurança pública, é reflexo do trabalho desempenhado pelas equipes. “Fazer parte da ROTAM exige do policial militar um grande sacrifício pessoal e profissional, além do risco envolvido à própria vida de todos da barca, pois a complexidade das ocorrências é de outro nível, sendo um apoio para as viaturas de área, quando a situação se agrava e exaure os limites de atuação das viaturas de batalhões da corporação, lidando com ladrões de maior periculosidade, de maior organização e de maior capacidade de dano à segurança”, disse o rotamzeiro.

Capitão Rodrigues afirmou ainda, que “o sacerdócio é inerente ao rotamzeiro, pois mesmo na folga está trabalhando, e até nas férias nos colocamos à disposição para ajudar e apoiar em situações e operações que surgem. O ímpeto e vivacidade desses policiais militares de estarem sempre disponíveis para o serviço se reflete no reconhecimento de seu valor pelos colegas da corporação e principalmente pela comunidade. Policiais estes que em situações de complexidade, gravidade e perigo atuam com muita coragem e uma bravura imensa geralmente com sucesso, trazendo paz e tranquilidade social.