1ª CIPM - Arraias

Histórico da 1ª CIPM

HISTÓRICO DA CRIAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA 1ª COMPANHIA INDEPENDENTE DE POLÍCIA MILITAR - ARRAIAS-TO

A 1ª Companhia Independente de Polícia Militar (1ª CIPM), foi criada no Plano de Articulação, aprovado pelo Decreto nº 1936 de 27 de agosto de 1981, mas, oficialmente instalada no dia 19 de junho de 1985, pelo então Coronel PM Álvaro Alves Júnior, Comandante Geral da Polícia Militar de Goiás, com a responsabilidade de proteger e manter a ordem no nordeste goiano.

Com a criação do Estado do Tocantins, a Companhia perdeu os destacamentos PM das cidades de Campos Belos, Monte Alegre, Galheiros e São Domingos, os quais passaram a pertencer ao Estado de Goiás.

Com a divisão do Estado de Goiás, a área de circunscrição do Comando da 1ª CIPM, ficou com as cidades de: Arraias, o então Distrito de Novo Alegre, Paranã, Conceição do Tocantins, Combinado, Taguatinga, Ponte Alta do Bom Jesus, Porto Alegre, Povoado de Novo Jardim, Almas, Povoado de Lavandeira, Dianópolis, e Aurora do Tocantins.

Por ato do Coronel PM Comandante Geral da PMTO, Nelson dos Reis Aguiar, no dia 2 de abril de 1991, através da Portaria nº 36/91-PM1-EM, a área da 1ª CIPM, foi novamente dividida; passando os destacamentos de Dianópolis, Almas, Porto Alegre, Ponte Alta do Bom Jesus, Taipas, Novo Jardim e Conceição do Tocantins, para área da 2ª CIPM, que fora transferida da cidade de Porto Nacional para a cidade de Dianópolis. Entretanto no ano de 2008 o destacamento de Conceição do Tocantins voltou a pertencer à circunscrição de Arraias novamente.

Durante o período de 1985 a 1994, esta Companhia formou 290 (duzentos e noventa) policiais militares, entre estes, dezoito policiais músicos para compor a banda de música ‘Santa Cecília’, que atualmente presta serviço a toda a região sul do Estado, atendendo também solicitações do estado vizinho, Goiás.

Atualmente comandada pelo Major QOPM Autieres Bezerra Pimentel, a 1ªCIPM abrange uma área de 24.348,015 KM² e uma população de aproximadamente 51.133 habitantes segundo o IBGE. Possui 150 (cento e cinqüenta) homens atuando no serviço ordinário operacional e 17 (dezessete) músicos, para atender toda a área acima citada, exceto os músicos que ultrapassam essa fronteira nas prestações de serviço.